• Secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, e vice-ministro do Comércio, Fu Ziying, trocam a acta da 1ª reunião do conselho de cooperação económica e comercial entre o Interior da China e Macau.

Realizou-se hoje (dia 12), na Sede do Governo, a 1.ª reunião da Comissão de Cooperação Económica e Comercial entre o Interior da China e Macau, que representou que os dois lados irão promover, em conjunto, o desenvolvimento do intercâmbio e da cooperação económica e comercial para um nível mais alto. A reunião foi presidida, conjuntamente, pelo Representante de Negociações do Comércio Internacional e Vice-Ministro do Comércio da República Popular da China, Fu Ziying, e pelo Secretário para a Economia e Finanças, Leong Vai Tac. Na reunião, as duas partes, para além de estudarem e definirem um mecanismo de reuniões desta Comissão, trocaram opiniões sobre relevantes conteúdos da cooperação, designadamente a promoção da actualização e concretização do CEPA, promoção conjunta da construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, apoio à participação de Macau na construção de “Uma Faixa, Uma Rota”, apoio a Macau na construção da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e reforço do intercâmbio económico e comercial bilateral, tendo formulado 19 políticas e medidas de cooperação assentes em benefícios mútuos. Tudo isso permitirá elevar ainda mais o nível da cooperação económica e comercial entre o Interior da China e Macau, e assim, conceder benefícios aos sectores empresariais dos dois lados. Depois da reunião, foi assinado o Acordo sobre Comércio de Mercadorias no âmbito do CEPA, pelos representantes do Ministério do Comércio e do Governo da Região Administrativa Especial de Macau.

Na sua intervenção, Fu Ziying indicou que a constituição desta Comissão e a actualização do CEPA vão ser um novo ponto de partida para o intercâmbio e cooperação económica e comercial entre o Interior da China e Macau, e que, através do mecanismo desta Comissão, ampliar-se-á o âmbito de liberalização do Interior da China concedida a Macau no enquadramento do CEPA, reduzindo, ainda mais, os requisitos de acesso e concedendo mais facilidades nas áreas de investimento e comércio de serviços, elevando, constantemente, o nível de facilitação em matéria de comércio e investimento e promovendo a integração económica entre os dois lados. Em simultâneo, é apoiada, empenhadamente, a valorização das vantagens próprias de Macau, reafirmando-se, na área económica e comercial, o apoio à participação de Macau na construção de “Uma Faixa, Uma Rota”, bem como a promoção das políticas e medidas em prol da construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e o impulsionamento da concretização da liberalização plena do comércio de serviços na Grande Baía. A par disso, maximizam-se as vantagens de Macau mediante o Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa como o suporte, promovendo a construção em Macau da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e apoiando, de forma contínua, a participação de Macau na Exposição Internacional de Importações da China.

Por seu turno, Leong Vai Tac manifestou os mais sinceros agradecimentos ao Governo Central pelo seu apoio e orientação a Macau, tendo afirmado que esta Comissão irá implementar a directriz de “Um País, Dois Sistemas” e o espírito do 19.º Congresso Nacional do Partido Comunista da China, apoiar a integração de Macau na conjuntura do desenvolvimento nacional e promover, de forma plena, a cooperação entre o Interior da China e Macau, assente em benefícios mútuos, acreditando igualmente que os trabalhos a realizar pela Comissão irão contribuir para promover a cooperação mais aprofundada entre o Interior da China e Macau na área económica e comercial, acelerar a integração de Macau no desenvolvimento nacional, ajudar a diversificação adequada e o desenvolvimento sustentável da economia de Macau, bem como concretizar o posicionamento de Macau como Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

De acordo com as necessidades de desenvolvimento, no que respeita ao intercâmbio e cooperação económica e comercial entre o Interior da China e Macau, os dois lados procederam a uma optimização e actualização em relação ao mecanismo de cooperação económica e comercial, tendo sido constituída a Comissão de Cooperação Económica e Comercial entre o Interior da China e Macau, alargado o âmbito e enriquecido o conteúdo da cooperação entre os dois lados, e em particular, criados vários grupos de trabalho especializados para a cooperação entre os dois lados na construção de “Uma Faixa, Uma Rota”, da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, que irão envidar esforços na coordenação para resolver os assuntos de relevo nas áreas de cooperação económica e comercial entre os dois lados.