No intuito de reforçar o apoio prestado às PME, a Direcção dos Serviços de Economia (DSE) adopta medidas correspondentes para ajudar as PME enfrentarem necessidades emergentes resultantes de incidentes imprevistos. Para as empresas beneficiárias do “Plano de Apoio a Pequenas e Médias Empresas”, do “Plano de Apoio a Jovens Empreendedores” e do “Plano de apoio especial às pequenas e médias empresas afectadas pelo tufão Hato”, cujo pedido seja aprovado, mas cuja verba de apoio concedida anteriormente não tenha sido reembolsada, estas podem apresentar pedido de ajustamento do seu plano de reembolso junto da DSE, caso o funcionamento da empresa tivesse sido afectado pelo tufão “Mangkhut”, o que permite que as PME possam mobilizar os recursos de forma mais flexível, no sentido de dar resposta às necessidades financeiras de curto prazo, aproveitando para aliviar a pressão financeira das PME afectadas e melhorar a sua situação de exploração de negócios.

Além disso, as PME que não sejam beneficiárias dos planos de apoio acima mencionados, e que sofreram impactos causados pelo tufão “Mangkhut”, desde que reúnem os requisitos, podem também, de acordo com o “Plano de Apoio a Pequenas e Médias Empresas”, apresentar, junto da DSE, o pedido de apoio financeiro sem juros, no montante máximo de 600 mil de patacas, sendo o prazo de reembolso não superior a 8 anos. A DSE irá acelerar os procedimentos de apreciação e autorização relativos aos pedidos desse plano, para ajudar as PME com necessidades a recuperarem o funcionamento normal com a maior brevidade possível.

Para mais informações, as PME com necessidades podem contactar a DSE através do telefone número 888 2088, ou através do whatsapp (6297-9762) ou enviar e-mail para smes.info@economia.gov.mo.